23 de maio de 2016

Ana Hickmann se manifesta pela 1ª vez após atentado: "Nunca pensei que o ser humano fosse capaz disso"

ana hickmannRaphael Castello/AgNews
Ana Hickmann se manifestou pela primeira vez após a tentativa de assassinato que sofreu neste sábado (21) em Belo Horizonte. Por meio de uma nota oficial, a apresentadora conta que já está em sua casa em São Paulo após o dia que classifica com "fatídico". Profundamente abalada, ela pede orações para a cunhada Giovana Oliveira, que se recupera no hospital.
— Nunca pensei que isso poderia acontecer! Nunca pensei que o ser humano fosse capaz disso! Foi terrível! Estou profundamente abalada e triste! Só peço que todos rezem por minha cunhada para que ela se recupere logo.
Veja a nota oficial assinada pela própria Ana, na íntegra
Neste sábado, 21/05, a apresentadora Ana Hickmann, foi vítima de um atentado no hotel em que estava hospedada em Belo Horizonte.
Um homem armado invadiu o quarto em que ela estava e efetuou disparos, que atingiram a cunhada de Ana, Giovana Oliveira, que foi socorrida e levada ao hospital. Ana não foi atingida.
Ana Hickmann já está em sua residência em São Paulo e se recupera deste fatídico dia.
"Nunca pensei que isso poderia acontecer! Nunca pensei que o ser humano fosse capaz disso! Foi terrível! Estou profundamente abalada e triste! Só peço que todos rezem por minha cunhada para que ela se recupere logo"
Ana Hickmann

O que se sabe do caso até agora
A Polícia Civil de Minas Gerais já ouviu a apresentadora Ana Hickmann e o cunhado dela, Gustavo Corrêa, após ataque sofrido pela família no sábado (21) em Belo Horizonte. Um atirador identificado como fã da Ana invadiu o quarto do hotel em que ela estava e atingiu a cunhada da apresentadora, Giovana Oliveira. Giovana está internada e passa bem.
Ao R7, a Polícia Civil informou que, além de Ana e Corrêa, o cabeleireiro da apresentadora, Júlio Figueiredo, 37 anos, também foi ouvido. Ele estava no quarto no momento em que o suspeito, Rodrigo Augusto de Pádua, de 30 anos, entrou e ameaçou o grupo. Figueiredo, no entanto, não foi ameaçado. Os depoimentos duraram cerca de quatro horas e a polícia trabalha com a hipótese de que o crime foi premeditado e informou que a briga entre Corrêa e Pádua — que acabou com a morte do atirador — ocorreu dentro do quarto após o suspeito disparar e atingir Giovana.
Para o delegado que acompanha o caso, Flavio Grossi, o fato de o suspeito ter se hospedado no mesmo hotel que a apresentadora um dia antes do crime indica que ele já tinha o plano de tentar atacar Ana. Pádua deu entrada no hotel e pagou a hospedagem com o cartão de crédito do pai. Em depoimento, a apresentadora informou que não conhecia o atirador e que nunca tinha visto Pádua. Segundo a polícia, ele não tentou se aproximar dela para pedir foto ou autógrafo.
Já Corrêa relatou à polícia que só viu o atirador uma vez antes do crime, no restaurante do hotel. O suspeito se envolveu em uma pequena confusão no local, que, para a polícia, pode até ter sido provocada para chamar atenção de Ana. Os depoimentos ocorreram na noite de sábado e, neste domingo (22), Ana já estava em casa, em São Paulo.

R7
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Portal Coronel Ezequiel

Copyright © Portal Coronel Ezequiel |